Guias de Viagem

Turismo de vinhos na França: as principais rotas de enoturismo

Texto produzido para a Bicitrip, operadora de turismo francesa.

Descobrir ácidos e amadeirados, notas de flores e frutas, e aprender sobre os detalhes da arte de produzir vinhos. Essa é a motivação dos praticantes do enoturismo, ou turismo de vinhos, uma arte de viajar percorrendo vinhedos e provando safras da produção local.

Estas visitas guiadas vão além de embriagar-se com vinho, mas sim aprender sobre ele. O processo envolve sentir o sabor da bebida e contemplar como a alquimia envolvendo sol, chuva, o tipo da uva e a qualidade do solo influenciam no resultado, transformando cada vinho em uma produção única.

França, a vinícula do mundo

A França é o país que mais produz vinhos no mundo, sendo também o destino favorito de quem se interessa em experimentar e saber mais sobre a bebida. A World’s Top Exports estima que o país exportou 10.3 bilhões de euros em vinhos em 2017.

Desde 2010 a fundação vem promovendo o enoturismo no país e, como resultado, hoje a França recebe por ano mais de 84 milhões de visitantes estrangeiros interessados em suas rotas de vinho. Um tendência crescente que atrai principalmente casais apaixonados, grupos de amigos e famílias.

Enoturismo é a experiência completa

Enquanto muitos tipos de viagens envolvem a contemplação – da natureza, obras de arte e da história – o enoturismo é uma experiência mão-na-massa. Além de degustar, aprender sobre e comprar vinhos, algumas vinículas permitem que o visitante produza suas próprias combinações de sabores.

Outras, apresentam as harmonizações possíveis entre vinhos e pratos de carne e massas. Há diversos tours especializados e os mais atléticos podem cruzar os vinhedos à pé, de bicicleta, à cavalo e até de canoa. Chateaux (produtores de vinho) maiores oferecem ainda concertos e exibições durante a alta temporada, e quem deseja ir mais à fundo na experiência pode inclusive ajudar na colheita as uvas.

As rotas de enoturismo na França

A França possui 17 regiões produtoras de vinhos que, juntas, chegam a fabricar entre 7 e 8 bilhões de garrafas por ano. A mais famosa é Champagne, de onde sai a original bebida. Quanto ao vinho tinto, os melhores são produzidos em regiões como Vallée de la Loire, Bordeaux e Bourgogne.

Além do vinho tinto e do champanhe, são também produzidos deliciosos vinhos brancos, rosés, still wines e vinho de sobremesa. Tudo isso passando por vilas e casinhas típicas, por vinhedos e parreiras enfileiras, ouvindo a histórias de vinícolas antigas. O enoturismo na França é um pacote repleto de experiências para todos os sentidos, o que explica o sucesso entre os viajantes.

Vallée de la Loire, o Vale do Loire

O Vale do Loire é uma região importante na produção de vinho francesa. Localizada a sudoeste de Paris, a região contém mais de 750 km2 de vinhedos que se estendem ao longo do Rio Loire. Os vinhos produzidos aqui possuem como característica um frescor frutado e sabores vivos, especialmente quando jovens. Além disso, a região produz o Crémant, o segundo espumante mais famoso da França.

Os principais vinhos produzidos no Vale do Loire se chamam Vouvray, Chinon, Saumur e Saumur-Champigny. O Vouvray é um vinho branco feito com a uva Chenin blanc, cujo sabor depende muito das condições climáticas. Além disso, ele envelhece bem, alcançando seu potencial máximo quando a safra completa 40 anos de idade.

Já o Chinon é produzido na região de mesmo nome. Esse vinho tinto é feito a partir da uva Cabernet Franc, com 10% de Cabernet Sauvignon, o que os torna tipicamente secos. Os vinhos Saumur compõe vinhos espumantes produzidos pelo método tradicional e vinhos tintos feitos principalmente da Cabernet Franc. A principal variedade nos vinhos brancos é a Chenin blanc.

O nome Champigny pode ser adicionado a alguns dos maiores vinhos tintos de denominação Saumur, feitos nas 8 comunas mais próximas à região de mesmo nome. Esse vinho tem sabor elegante e frutado com notas de frutas vermelhas e pretas, e ocasionalmente flores (íris e violeta). Perfeito para harmonizar com carnes vermelhas e queijos.

Uma forma de saborear todos esses vinhos e explorar todo o Vale do Loire é pedalando pela La Loire à Vélo, uma rota de ciclismo com 800 km de extensão. Ao longo de toda a La Loire à Vélo, é possível descobrir o último grande rio selvagem da França, com suas margens de areia e ilhas, suas encostas cobertas de vinhedos, cidades e aldeias típicas, sua boa comida e sua atmosfera única. A rota termina no estuário do rio Loire.

Bordeaux, o mais famoso dos tintos

Bordeaux produz vinhos tinto tão famosos que seu nome virou sinônimo de um vermelho forte e profundo, como a bebida aqui produzida. O vinho e a região são homônimas à cidade de Bordeaux, localizada às margens do rio Garonne. É aqui que está o Cité, o mais importante museus sobre vinhos da França.

Os vinhos tintos produzidos pelas vinícolas de Bordeaux são compostos pelas uvas Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc). Apenas nessa região existem mais de 8.500 chateaux e a maioria oferece atividades aos visitantes.

Há três vinhos especiais dignos de degustação: o Saint Emilion, o Pomerol e o Saint-Estèph. O Saint Emilion é uma mescla de diferentes tipos de uvas, sendo que as principais são Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon, o que resulta em um vinho único.

O Pomerol por sua vez é descrito pelos especialistas como um vinho ‘aveludado’, enquanto o Saint-Estèph é um vinho tinto com uma acidez mais fina e estrutura tânica. Com maturidade, este vinho adquire sabores frutados mais fortes e torna-se mais arredondado e elegante.

Bourgogne, a Borgonha

A Borgonha é região francesa conhecida por ser a mais consciente de seu solo e de como este afeta o sabor dos vinhos, tendo 400 tipos de solos classificados para que cada uva seja plantada no lugar certo. Vinhos tintos e brancos são feitos de variedades de uva como Gamay e Aligoté, respectivamente. Rosés e espumantes também são produzidos na região.

Das uvas brancas, a Chardonnay é o mais comum. Já a Aligoté tende a produzir vinhos mais baratos, com maior acidez, e a Sauvignon blanc também é cultivada. As uvas Chardonnay produzem os vinhos Chablis, Mâcon e os brancos Côte d’Or. Das uvas vermelhas, a maior parte da produção chamada Côte d’Or é focada na uva Pinot noir, enquanto a uva Gamay é cultivada em Beaujolais. Na região de Côte de Nuits, 90% da produção é de uvas vermelhas.

A produção de vinhos é, como dito antes, uma alquimia e o enoturismo na França abre um portal para um mundo de conhecimentos acerca dessa arte. Visite Chateaux para misturar uvas e criar seu próprio vinho, combine ‘vinho com queijo’ e ‘vinho com chocolate’ em workshops especializados, ou apenas aprecie a riqueza de sabores e cheiros.

Conheça os nossos tours de bicicleta pelo Vale do Loire, Bordeaux e Borgonha e aprecie todas as possibilidades que o turismo de vinhos oferece. E não volte para casa sem levar garrafas e mais garrafas dos seus favoritos!

Mariana Eberhard vive em Berlim, onde conclui um Ph.D. em sociologia do turismo. É jornalista e socióloga por formação, e atualmente é escritora e tradutora freelancer – traduzindo do Inglês, Espanhol e Alemão para o Português. Em seu tempo livre ela gosta de ler, perder tempo vasculhando a Netflix e descobrir os segredos da cidade onde mora.

0 comentário em “Turismo de vinhos na França: as principais rotas de enoturismo

Diga-nos sua opinião:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: